segunda-feira, 24 de setembro de 2007

Mas é O Cúmulo do Absurdo



No começo desse ano, eu e meu velho ranzinza amigo Stêvz sentamos nossos rabos e criamos O Cúmulo do Absurdo, que era pra ser uma mistura de quadrinhos, ilustração e texto num espaço de 12cm x 23cm. Fizemos 6 números (esse ai de cima é o terceiro), e nosso plano era vender para algum dos grandes jornais aqui da capital e descolar uns trocados. Mas antes de apresentar o projeto pros editores dos jornais, mostramos para alguns amigos jornalistas, e todos disseram algo mais ou menos assim: "Massa, mas vocês nunca vão conseguir publicar isso aqui, os jornais daqui são quadrados demais, talvez em outro lugar onde os editores sejam mais cabeça aberta, as mulheres andem nuas e os rios sejam de leite e mel". Então como eu e o Stêvz somos dois cagalhões, nem fomos em jornal nenhum e engavetamos Os Cúmulos.

7 comentários:

you know my name. disse...

e por falar em velho ranzinza, a sirva-se lançou o tionofre.

Anônimo disse...

http://diversao.uol.com.br/ultnot/2007/09/24/ult4326u375.jhtm

roberta ar disse...

poxa, a intenção não era desmotivar. acho que agora é um bom momento para levar esse projeto pros jornais daqui. já que eles agora sabem do seu trabalho...

Gabriel disse...

os jornais de hoje não respeitam os quadrinhos. Antigamente os cartunistas ganhavam páginas inteiras coloridas aos domingos (pelo menos nos eua). Aqui é tudo avacalhado, outro dia vi uma tirinha do charlie brown "amassada" no correio braziliense, parece que a tira não era na mesma proporção das outras, então eles simplesmente deram uma espremida horizontal e os personagens ficaram todos deformados, assim como os balões com os diálogos. É de chorar.

Zeh disse...

Gaio, custe ai o desenho q eu tava começando aquele dia na biblioteca!

http://www.unb.br/cronicas/

Gomez disse...

Massa zé, tá desenhando demais....e ai, conseguiu a reintegração?

Mauren Veras disse...

vende pra mim.
por favor.